Saber argumentar

09 de novembro, 2018 - por Max Franco

A 7ª competência da BNCC – Argumentação


A competência geral 7 da BNCC trata da capacidade de argumentar. É uma competência fundamental para os dias atuais e tudo demonstra que será ainda mais necessária no futuro.

Nossos alunos trabalharam já Conhecimento, Repertório cultural, Pensamento crítico, científico e criativo como, também, Comunicação. Eles – portanto – estão prontos para uma nova fase do jogo, um desafio maior. O estudante, agora, será incentivado a se posicionar com base em fatos, dados e informações confiáveis, para formular, negociar e defender ideias, pontos de vista e decisões que sejam construtivas para o bem coletivo.

É importante que esse aluno também aprenda a respeitar a opinião alheia, a escutar com legítimo interesse de entender o posicionamento do outro e, se for o caso, inclusive, mudar de ideia quanto à questão debatida.

Os estudantes também devem se motivados a sempre promover os direitos humanos, a consciência socioambiental e o consumo responsável, com posicionamento ético em relação ao cuidado de si mesmo, dos outros e do planeta.

O destaque nesta competência 7 é para a capacidade de levantar argumentos, conclusões ou opiniões de maneira qualificada e de debater com respeito às ideias dos outros, sempre valorizando a ética, os direitos humanos e a sustentabilidade social e ambiental.

As atividades de estudo do meio e de viagens pedagógicas – mais uma vez – são momentos oportunos para estimular a construção dessa capacidade argumentativa, afinal, a prática proporciona um olhar e entendimento do mundo privilegiados.

Entretanto, é fundamental que a atividade seja planejada com o intuito de permitir momentos de debates e de expressões de ideias. Não é possível desenvolver argumentação se o educador ou o guia da expedição monopolizam o tempo inteiro a palavra. Viagens pedagógicas devem sempre possibilitar dinâmicas de discussões em pequenas equipes e com o grupo todo. O educador, porém, deve nortear essas práticas, orientando para que de fato exista uma argumentação clara, fundamentada, isenta de preconceitos e, principalmente, prevaleça o respeito mútuo e a capacidade da escuta.

Mais do que “aquilo” que o aluno vá ver in loco, importam a relação que ele constrói com o objeto, quadro, paisagem, evento, fato social e como ele vai expor as suas impressões e sentimentos para o grupo.

É fundamental que os alunos aprendam que o confronto é apenas de ideias.