O anjo da guarda

23 de janeiro, 2018 - por Max Franco

Campinas. São Paulo. Futuro pouco distante.

Ilana despertou quando Beyoncè começou o refrão. Era a sua música predileta e Ângelo bem sabia disso. Ele a colocara para que a jovem acordasse já de bom humor.
“O Ângelo pensa em tudo” pensava a moça enquanto tomava seu banho quente.
– Bom dia, Ilana. Como vai?
– Tudo bem, Ângelo. Meio cansada, mas isso não é nenhuma novidade. – disse ela depois do banho.
– Você precisa comer melhor, Ilana. E você dormiu tarde ontem. Precisa abandonar as redes sociais nesta sua fase. Ontem, você ficou 47 minutos no aparelho celular batendo papo. Não se esqueça: o segredo do sucesso está na disciplina, Ilana!
– Você é meu anjo da guarda, Ângelo. Vou preparar o meu café…
– Você precisa comer mais fibras, Ilana! Lembre-se: falta um mês para o vestibular. Se você adoecer…
– Eu sei, Ângelo! Vou comer mais fibras. – disse ela despejando sucrilhos no prato. – Mas, me diga, qual a minha programação hoje?
– Você tem aula de matemática, história, química e biologia. Depois do almoço, às 15 horas, você tem dentista. Dá tempo para fazer uma redação antes da academia. Você também precisa rever a matéria de história. Você não foi muito bem no último simulado, principalmente no conteúdo de Revolução francesa. Você só acertou 64% das questões. Precisaremos rever a sua grade de estudos.
– Você pode mostrar alguma aula para mim?
– Tenho várias à disposição. Quer uma aula curta enquanto toma café?
– Me dê uma de dez minutos.
– Ok.
Depois da aula, Ilana, já arrumada, montou na sua bicicleta.
– Ângelo, qual o melhor caminho?
– Melhor evitar a Júlio de Mesquita. Houve um acidente. Vou lhe indicar um trajeto alternativo. É bom você pegar um agasalho porque há 78% de chance de chuva. Lembre-se também do capacete.
– Tudo bem, Ângelo. – disse ela saindo de casa. – Quero aula de literatura no caminho. O que você me aconselha?
– Realismo. Vamos de Machado?
– De bicicleta não é melhor, Ângelo?
– Eu não sou bom de ironia, Ilana, me perdoe. Nós, anjos da guarda, não funcionamos bem com paradoxos.
– Me perdoe, Ângelo. Às vezes, me esqueço que você é uma I.A., um aplicativo no meu celular.
– Sou mais do que isso, Ilana. Você sabe, sou seu anjo.
– É verdade! Uma espécie de coach integral 24 horas.
– Vamos parar de conversa e partir com o Machado?
– “Partir com o Machado”? – disse ela sorrindo. Acho que isso foi uma ironia, Ângelo! Pensei que você não brincasse…