Cidadania, Responsabilidade e Autonomia – A competência 10 da BNCC

08 de dezembro, 2018 - por Max Franco

 

A competência 10 da BNCC trata Cidadania e Responsabilidade. É uma competência que se volta para a coletividade. Que propõe uma ação pessoal e coletiva com flexibilidade, resiliência, responsabilidade e autonomia.

A importância dessa competência exige que ela esteja inserida em todos os currículos de todas as áreas de conhecimento e seja explorada nas atividades propostas pela escola.

No caso das viagens pedagógicas, essa competência é mais uma que pode e deve ser desenvolvida de forma sistemática. O aluno deve ser estimulado a olhar o mundo que lhe é apresentado com um olhar ativo de protagonista e não de passivo ou omisso. Ele deve se sentir apto a interferir no mundo com o intuito de transformá-lo para melhor, atuando de modo responsável e sustentável em todas as questões ambientais, sociais e relacionais de modo a construir uma sociedade mais justa, igualitária e solidária.

As viagens de estudo do meio devem, portanto, não apenas prover entretenimento e diversão, mas estimular a inserção de princípios éticos, democráticos, inclusivos, sustentáveis e solidários.

Os estudos do meio devem ser planejados com o objetivo de gerar uma participação ativa na resolução de problemas atuais, levando em conta seus direitos e deveres como cidadãos.

A escola deve planejar suas viagens pedagógicas com a intenção de despertar o  senso crítico e o levantamento de propostas de solução dos problemas da sua comunidade e do mundo.     

As discussões sobre ética devem estar presentes em todas as atividades escolares, como também nas viagens de estudo do meio, os quais são momentos oportunos   para exercitar esse papel de agente de transformação do mundo.

As viagens não devem existir na escola apenas para o desenvolvimento da fruição, para fomentar amizades ou gerar diversão. O estudo do meio não é somente turismo, e – sim – uma possibilidade de exercício de cidadania. Mais do que apresentar o mundo aos alunos, a escola deve estimular uma transformação do mundo.