Estudos do meio e Cultura digital

25 de outubro, 2018 - por Max Franco

Como explorar a 5a competência da BNCC em viagens de estudo do meio?

                 Há dessas invenções que mudam realmente o mundo. A internet é uma delas. A internet, desde que se popularizou, funciona como uma grande aliada para a maioria das pessoas que fazem uso da ferramenta. Afinal, com o seu uso, pode-se realizar diversas funções e cada dia mais.  Seja no meio profissional bem como no modo particular, a internet se popularizou, ou seja, viralizou. No entanto, como ferramenta, ela pode ser bem ou mal usada. Essa questão deve ser trazida para a Escola?

A 5ª competência da BNCC trata justamente da Cultura digital e das possíveis estratégias de como fazer que a sua utilização seja amplamente benéfica para a sociedade. Ela fala da capacidade de fazer uso das tecnologias de modo responsável e crítico, seja como consumidor, seja como produtor de conteúdos. O aluno deve compreender a sua utilização de forma técnica, mas também com ética e criatividade, tornando-se protagonista e não apenas um sujeito passivo na relação com a tecnologia ou com o mundo digital.

Conforme a pesquisa realizada pela empresa ESET (2018), mais da metade dos brasileiros (53%) permanecem conectados acima de 6 horas diárias. Em relação aos dispositivos usados para o acesso, o estudo revela que 68% dos brasileiros utilizam o computador do trabalho para acessar à internet. Os outros 30% usam os seus smartphones. Entre os entrevistados, 97% dizem que as escolas brasileiras deveriam ensinar os seus alunos modos de evitar cair em golpes online. Em épocas de proliferação das fake news ou da desinformação tendenciosa e massiva, essa capacidade de lidar com o universo virtual vem bastante a calhar.

A 5ª competência dialoga com muitos componentes curriculares e pode ser explorada em todas as disciplinas, como também nas viagens de estudo do meio, que é o foco dos textos propostos por esse espaço de discussão. Os alunos podem e devem fazer uso da tecnologia para se preparem de forma adequada para a viagem proposta pela escola. Se os estudantes, por exemplo, vão conhecer um museu, como o MASP ou outro qualquer, é adequado que antes da realização do estudo do meio possam fazer uma visita virtual ao local. Essa iniciativa serve não só para colher informações relevantes, mas, principalmente, para “abrir o apetite” para o que depois irão conhecer. O mesmo pode ocorrer com viagens com outras abordagens, como, por exemplo, uma trilha pela mata ou visita a algum ponto de interesse histórico e/ou turístico.  Caso um grupo vá conhecer as obras de Aleijadinho, em Minas Gerais, é recomendável que possam anteriormente conferir o que irão visitar em um passeio digital.

A 5a competência deve ser explorada durante e após a viagem em sintonia com a 4ª (Comunicação) a partir da construção de mídias que sirvam para divulgar as experiências e aprendizagens acumuladas no campo. Os alunos podem então realizar uma construção coletiva de um blog ou alimentar as suas redes sociais de fotos e informações que retratem as suas vivencias e seus aprendizados durante a viagem.

O importante é que os educadores que estão à frente do projeto consigam planejar de modo coerente e explorar todos os potenciais oferecidos por um estudo do meio à luz das competências previstas pela BNCC.