A mágica

04 de janeiro, 2017 - por Max Franco

 

O diretor de  uma agência de viagens de Campinas me solicitou um texto que servisse como ilustração para uma apresentação de um projeto que participará de uma concorrência. A intenção da inserção do storytelling na explanação é simples: a de engajar o ouvinte, de envolvê-lo com a emoção gerando empatia. E não há nada tão atraente como uma história bem contada.

É óbvio que a ficção não deve substituir a informação técnica. Ela é uma ferramenta de fomentação de engajamento muito poderosa, mas nunca absoluta. E, por isso, uma boa apresentação não deve prescindir jamais de dados e informações.  Só não devemos cansar o  interlocutor com qualquer tipo de excesso. Comunicar-se bem não é descer a detalhes, mas manter o seu o foco do público.

O apresentador da proposta deve também fazer bom uso de imagens para ilustrar muitas das falas, mas, como já citei, sem excessos. As imagens devem instigar mais do que retratar exatamente o que está sendo explicitado. Lembro que ler o que está no slide, especialmente se houver muito texto, é um pecado quase sem perdão. Evite textos e leituras dispensáveis.

– Se eu fosse uma Agência de Viagens,

Luís Ronaldo era um lutador.

Afinal, nada foi fácil na vida do comerciante. Nada de bom simplesmente caiu no seu colo.

Todos sabem, não é tarefa simples empreender no Brasil. Empresário, neste país, precisa ter algo de mágico. Precisa tirar sempre um coelho da cartola. E depois, é claro, vender o coelho. Pagar os impostos pelo coelho, remunerar os funcionários que trataram do coelho, providenciar novos coelhos com preço acessível para conseguir, mais uma vez, negociar o coelho.

Para fazer a sua mágica, Luís Ronaldo lutou de sol a sol durante muitos dias sem sol e até repletos de nuvens negras e chuvas torrenciais. Porém, nada poderia prepará-lo adequadamente para a tempestade que se abateu no país nos últimos anos. Tempestade? Para alguns. Para muitos, terremoto acompanhado de tsunami

Não obstante tudo, apesar dos pesares, apesar do governo e, principalmente, dos desgovernos, Luís Ronaldo deu seu show e conseguiu não só um coelho no último ano, mas uma ninhada.

Parabéns para você, Luís Ronaldo. Você usou a sua magia, enfrentou as bruxas e o dragão,  mas sobreviveu. Na verdade, agora você está mais forte para as novas lutas e conquistas maiores ainda.

Por isso, Luís Ronaldo, chegou a hora de você celebrar as suas vitórias. Afinal, você merece.

Você, que fez tanta mágica, merece a capital mundial da magia. Merece Vegas.

E nós temos a varinha de condão que vai lhe ajudar a fazer este encantamento.

Você poderá, por exemplo, realizar um voo sensacional nos melhores e mais modernos aparelhos até Vegas. Não se preocupem que não será uma vassoura voadora, mas um… Voar com segurança nunca foi tão urgente, não é?

Você irá se hospedar num castelo. Não num castelo medieval, mas num castelo de beleza e sofisticação. Afinal, você conseguiu transformar obstáculos em trampolins. Você não merece menos do que tudo isso.

Você poderá usufruir de tudo que Vegas oferece: shows, cassinos, festas, e de todo o conforto que só esta cidade que surgiu do deserto pode proporcionar.

Você foi um mago, meu amigo. Deixe que a nossa agência lhe transporte para a capital da magia.

Falando em magia, a maior mágica está aqui no final.

Afinal, poder fazer tudo isto com apenas este orçamento é algo de David Copperfield. Nem o Mister M. explicaria esta mágica.

Confira…