Stranger Things

30 de julho, 2016 - por Max Franco

Parece estranho, mas não é. Stranger Things , a  nova websérie  da NETFLIX , em poucas semanas , virou coqueluche mundial ao lado do Pokemon go.

Se você mora neste planeta e não consome barbitúricos com frequência, já deve, no mínimo, ter ouvido falar destes últimos fenômenos pop. Stranger é uma série americana produzida pelos irmãos Duffer. O enredo, que se passa no ano da graça de 1983 na fictícia microcidade de Hawkins, na Indiana, tem como principal qualidade a forte tematização sobre os anos 80’. Na verdade, toda a caracterização da produção, estética, ritmo, edição, roteiro, atmosfera, atuação e (deliciosa) trilha sonora, parece ter sido congelada nos anos 80’ e só agora sacada do freezer. O resultado é uma excelente homenagem a estes frutíferos anos do cinema americano e aos seus grandes realizadores, entre eles, Stephen King, Steven Spielberg, Jonh Carpenter e George Lukas.

Não são acidentais as inúmeras referências aos clássicos do cinema produzidos naquela época e que, inclusive, gerações mais jovens não cansam de ver, citar,  revisitar, como E.T., Stand by me, Os Goonies, Poltergeist, O iluminado, Alien e até Rambo.

Eu me confesso desde já suspeito ao declarar apreço pela obra por dois motivos óbvios: pela minha idade (46 anos) e pelo meu antigo hábito cinéfilo. Sabe-se que alguém dotado destas naturezas jamais torceria o nariz para uma narrativa tão alicerçada nos maravilhosos anos 80’.

No entanto, há sempre quem desgoste apontando oportunismo, clichê e saudosismo. É o que ando dizendo: as pessoas andam muito mal humoradas. Há uma síndrome de ranzinzismo tomando o mundo. Parece que muita gente, só agora, aprendeu a reclamar e ficou viciada nisso. Aí, o povo se queixa de tudo, até da queixa, ou principalmente da queixa. Mas é isso. Se você estiver disposto a produzir qualquer coisa, vá também se preparando para receber os queixumes e resmungos.

Particularmente, considero Stranger Things uma ótima diversão, com um roteiro instigante, envolvente, e com atores convincentes. Os meninos são maravilhosos. Winona Rider (irreconhecível) está excelente. E, em especial, destaco a atuação da Millie Brown (Eleven). Estou seguro de que ainda ouviremos falar muito desta garota no futuro.

Stranger Things é um suspense paranormal ou ficção científica teen com toques de terror? Ambos. Mas, principalmente, é uma grande pedida para quem aprecia  um bom entretenimento.