Recomendações de boas histórias

22 de dezembro, 2018 - por Max Franco

Contar boas histórias não é tarefa das mais simples. Muita gente deseja sabê-lo, mas não sabe. Muitos até teriam uma boa história para contar, porém pecam no “como” narrá-las. A química entre o quê e o como é coisa rara. Por isso que os bons storytellers são tão disputados no mercado e tão difíceis de achar.

Por força do meu ofício como profissional de storytelling (e por puro deleite pessoal), eu sou um consumidor adicto de histórias. Seja por meio de leituras frequentes, pela convivência com peças de teatros e musicais seja pelos filmes e séries que devoro quase diuturnamente, ocorre com frequência que alguma gente curiosa me bata à porta das minhas redes sociais com a velha pergunta: “Max, tem alguma indicação de livro, filme ou série?”

Nesse período, quando muitos têm à disposição alguns dias de descanso, essa demanda só aumenta.

Pois – para ajudar os felizes ociosos – compartilharei aqui algumas indicações de boas histórias que bem mereceriam uma demorada visita.

Confiram:

  • Filmes: Não está fácil encontrar no Cinema bons filmes para se assistir. Acredito que os bons roteiristas correram realmente para as séries (é mais fácil se contar uma boa história quando se tem mais tempo!). No entanto, ultimamente, assisti ao maravilhoso “A vida em si”. Resista aos primeiros minutos e depois me agradeça. Excelente! Na telinha, há também bons filmes que entraram recentemente no netflix. Confira “A luta pela esperança”, ” A troca”, “Código de conduta”, “Perfume de mulher”, “Sicario”, “O leitor”, “Sem retorno” , “Protegendo o inimigo” , “O físico” e “Um conto chinês”. 
  • Livros: Leia tudo que o Iuval Hahari escreveu (Sapiens, Homo Deus e 21 dicas para o século 21). Leia sem medo!
  • Séries: Last Kingdom e Vikings, se você não tem problema com sangue. Outlander, Louva Deus, Versailles, The fall, The sinner, Merlí, A catedral do mar, Dark, Marco Polo, Black Mirror, Narcos, Sherlock, The crown, O demolidor e Safe.   
  • Com certeza, poderia indicar mais um bocado, contudo considero que – a não ser que você planeje passar os seus dias de férias feito um zumbi diante de um livro ou uma tela – aí já tem um bom material. Aproveito para lhe pedir alguma sugestão de algo relevante para as minhas noites insones (que são muitas!).
  • Aproveito também para lhe sugerir que não só frequente histórias dos outros, mas crie também as suas, seja escrevendo ou criando algo, seja indo pra rua para viver grandes histórias (depois  pode escrevê-las!).
  • Boas histórias!