Carlos Ruiz Zafón

03 de abril, 2016 - por Max Franco

Pouca gente me desperta mais prazer, atualmente, do que este jovem escritor de origem catalã.

Carlos Ruiz ambienta suas obras em Barcelona, mas não na Barcelona pós- Gaudí, pós-olimpíada, esfuziante, colorida e caliente. A sua Barcelona é sombria e fria, repleta de mistérios. abriga até um “Cemitério dos livros perdidos, que eu adoraria frequentar. Seus personagens são complexos, dúbios, intangíveis, adoráveis.

Com uma trama inteligente, criativa e, principalmente, com um texto fluido marcado por metáforas deliciosas, como já disse, pouca gente, hoje em dia, gera tanto prazer ao ser lido.

Pois Leia Zafón, sem medo, ou até com medo, mas deliciosamente.