#livreomundo

03 de abril, 2016 - por Max Franco

imageimageimageimage

Faz alguns anos que comecei essa campanha.

Olhei para a minha biblioteca e, ao ver as prateleiras cheias, a emoção que veio foi de vergonha em vez de orgulho.

Eu com tantos livros e tanta gente deslivrada.

Foi aí que decidir libertar livros para livrar pessoas.

Desde então, vou perdendo livros aqui e ali com apenas um pedido: ache, leia e perca-o mais uma vez.

Aproveito o ensejo para lhe sugerir o mesmo: perca livros para que o mundo ganhe.

Livro, se pudesse, escolheria ser libertado. Livro nasceu para olhos e mãos quentes, e não para estantes frias.