5 conselhos para os jovens do século XXI e do próximo

23 de novembro, 2016 - por Max Franco

Para começar, não sei por que sugeri 10 conselhos, e não 8,ou 9, ou mesmo 11. Talvez porque haja no número 10 algo de clássico e, por isso, mais convincente.
Ressalto, outrossim, que não tenho muita autoridade para panfletar conselhos para quem quer que seja. Não sou expert em muita coisa, e, de fato, em nada que me credencie a sair por aí distribuindo recomendações. Não desejo ser juiz de ninguém nem de nada, não aprovo palmatórias coletivas e, principalmente, não acho que conselhos sirvam para muita coisa, ainda mais para jovens, sempre tão independentes.
Depois deste preambulo completamente desnecessário, vamos aos tais conselhos (também desnecessários):
1. Perca seu tempo;
Isso mesmo. Pare com essa neura de “aproveitar intensamente cada segundo”. Os melhores momentos da nossa vida são aqueles nos quais não estamos nem aí para o tempo. Deixe para ser grilado com o tempo quando, lá na frente, ele lhe for exíguo. Saiba perder e, inclusive, perder tempo. Descobriu que o curso que começou na faculdade não tem nada a ver com você? Saia, troque de curso. Melhor perder um ano do que a vida inteira fazendo algo que odeia. Não apareceu uma pessoa bacana com quem namorar? Espere mais um pouco. Para que essa pressa? Aproveitar o dia ou Carpe Diem não significa correr para viver tudo, agora, com força. Mas, viver cada coisa com intensidade. Pode começar sentindo o gosto daquilo que come.
2. Priorize o prioritário;
Viver é fazer escolhas e escolhas pedem renúncias. Você vai ficar angustiado com isso, mas, não se desespere. Descubra quem é você e do que gosta. Observe se aquilo que você gosta é legítimo e relevante. A partir disso, eleja prioridades. Não dá para se ter tudo nem para se fazer tudo.
3. Educação é a melhor coisa que pode fazer por você;
Quando falo Educação, não estou falando apenas de estudos formais, mas também. Eles são importantes porque você vai precisar deles em muitos momentos. Alguns servirão apenas para lhe ajudar a passar no ENEM ou num vestibular. Mas essas coisas também fazem parte da vida. Largue a mão de ser preguiçoso e vá estudar. Porém, estou falando também de outros aprendizados que completam a nossa vida. Seja curioso e abra outras frentes. Vá aprender sobre vinhos, a cozinhar, a tocar um instrumento, a surfar, a dançar. Quanto mais se aprende, melhor se vive.
4. Rapazes, ninguém espera que vocês sejam fortes o tempo inteiro;
Há muita pressão na nossa cultura no que se refere às questões de gênero. O homem tem que ser o forte, pegador, que não demonstra muitas emoções e, principalmente, aquelas que são denominadas fraquezas. Pois eu digo, é preciso ser muito homem para se permitir ver as suas susceptibilidades. E não ache que as garotas vão reprovar você porque é mais sensível. Isso não é verdade! Porém, há uma enorme diferença entre ser sensível e ser frouxo.
5. Garotas, tenho um conselho sério para lhes dar: parem de viver a vida dos seus namorados/noivos/maridos. Não há essa baboseira de “metade da laranja”. Ninguém é pela metade nem somos frutas. Ninguém é o pires da xícara de ninguém. Podemos até ser “par de taças”. Mas, não podemos entregar a nossa vida para outra pessoa administrar. Não abandonem as suas amigas quando arrumarem um namorado. Não transforme o seus programas nos programas dos seus namorados. Os homens, geralmente, não o fazem, e podem até demonstrar que gostam da renúncia que vocês fazem para se dedicarem a eles, mas, depois, essa conta também chega. Nós gostamos de quem tem vida própria: projetos, experiências, amigos, família… Relações acabam a toda hora, e aí você vai fazer o quê? Onde estão as suas amigas? Cadê a sua vida? Relacionar-se deve ser crescer com o outro e não perder-se, anular-se.
Bom… Eis os meus 5 primeiros conselhos.
Como viram e como prometi, completamente desnecessários e gratuitos.
Mas, talvez, lhe sirvam como argumento para pensar. E pensar – sempre – faz toda a diferença.