Instituto Brasileiro de Educadores

08 de abril, 2016 - por Max Franco

-O homem estava completamente nu! – foi assim que comecei a aula no IBFE. – Ele estava tomando banho, a campainha tocou e ele foi atender apenas de toalha. Foi aí que, num desses acidentes impressionantes que ocorrem na vida dos azarados, a toalha lhe escapou, a porta bateu e a toalha caiu dentro do apartamento, agora, fatalmente, fechado. O pobre homem ficou completamente nu do lado de fora…

Quem conhece sabe que esta é uma famosa crônica do maravilhoso Fernando Sabino, “O homem nu”. Crônica que me salvou mais de uma vez.

A primeira fora para prestigiar meu amigo Aglailson, colega de faculdade, hoje, professor de escola pública em Fortaleza. Eu devia falar dos cronistas modernos. Deveria, porque ninguém me escutava. Na verdade, os alunos (tinham uns 80, todos do ensino médio) queriam a minha morte e morte atroz.

Depois de alguns minutos tentando falar de teoria, decidi usar as ferramentas do meu cinto de utilidades. Saquei o Storytelling e fiz a mágica.

– O homem estava nu, completamente nu! – Em um segundo, o silêncio desceu absoluto sobre a plateia curiosa. )Dava para escutar cri, cri, cri…). E continuei com a narrativa até o final. Depois puxei uma do Rubem Braga, depois Drummond, Paulo Mendes Campos… Uma hora de histórias para os adolescentes, os quais, ao final, me aplaudiram demoradamente.

Como? Simples: com histórias. Todos amam histórias, não é?

  • Foram já algumas vezes nas quais tive o prazer de colaborar com o IBFE de Campinas na preparação dos professores que participam dos seus cursos de pós graduação. A intenção é sempre esta: trabalhar com os professores este recurso poderoso que é o Storytelling dentro de sala.
  • Li, nesses dias, uma afirmativa do autor Oren Klaff. Ele realizou uma pesquisa que chegou a uma estatística interessante: a cada dez pessoas que escutam um discurso qualquer, 9 se perdem durante a explanação. No entanto, quando o emissor conta uma história, esse número cai exponencialmente. Resumo: quer atenção ? Conte uma história, mas conte bem.
  • É com esse propósito que trabalhamos com os professores nos workshops de Storytelling que realizamos no Instituto. Sempre com grande prazer.