18o Congresso da FACESP – Histórias de liderança

29 de novembro, 2017 - por Max Franco

Senti-me bastante prestigiado pelo convite da Associação da Indústria e do Comércio de Campinas para abrir o 3o dia do congresso da FACESP (Federação das associações comerciais do estado de São Paulo), ocorrido no Hotel Tauá, em Atibaia, SP.

No evento, discorri sobre os workshops realizados na INOVA BUSINESS SCHOOL de São Paulo e Campinas que tratava das habilidades dos grandes líderes mundiais, de Jesus a Steve Jobs.

Na oportunidade, narrei histórias de episódios atribuídos a estes líderes a fim de demonstrar que, apesar das insistências de livros de autoajudas e “guias definitivos”, não há características que sejam típicas de um líder.

Há líderes, por exemplo, tinham boa oratória, como Hitler e Obama, e outros, sem grande expressividade, como Gandhi e Madre Tereza. Há líderes éticos e outros sociopatas. Há líderes que planejaram os seus passos e outros, estabanados, que estavam no lugar e na hora de decisões cruciais.

A Harvard review traz os resultados de mais de 300 mil consultas mostrando as 16 habilidades elencadas como as mais importantes no caráter de um líder.

– Há algumas que estejam presentes em todos os grandes líderes? – esta era a minha pergunta inicial.

Há qualidades indispensáveis e comuns em todos os grandes líderes da História?

Chegamos à conclusão que só há uma: justamente a primeira determinada pela pesquisa: Capacidade de inspirar as pessoas.

Foi sobre esta habilidade que conversei neste dia de congresso. Sobre esta característica que conversei neste grande congresso. Sobre a capacidade de provocar este fenômeno determinante na história da humanidade: a inspiração.

A verdade é que nós gostamos de seguir alguém. Trocamos a nossa liberdade com convicção e alarde desde o objeto seguido nos convença a fazê-lo. Seguimos cega e alegremente pastores, padres, cantores, padres-cantores, celebridades, políticos, vendedores de hinode, apresentadores de tv, todo tipo de gente que consiga nos inspirar. A vida é tão vazia de inspiração que qualquer coisa que nos faça transpirar nos comove e move.

Emocionar, afinal é sempre mover.

Trato com maior profundidade deste trabalho associando Storytelling com Metodologias ativas (PBL) no post http://www.maxfranco.com.br/cronicas/o-que-precisa-um-lider/