O país para todos os sentidos

14 de julho, 2017 - por Max Franco

Portugal não é apenas um país para se estar, ver e ouvir. Na verdade, Portugal é um enorme festim para todos os sentidos e, é claro, para o paladar.
Fala-se muito da cozinha francesa e, sem dúvidas, a gastronomia italiana é a mais famosa em todo o mundo. Mas, em nenhum lugar do continente europeu se come tão bem quanto em Portugal. E isto já faz muito tempo. Sabemos, por exemplo, que foi, principalmente, em busca das especiarias do Novo Mundo que eram fomentadas as navegações lusitanas da era do mercantilismo.
Funcionou, porque Portugal consegue reunir o melhor das terras e dos temperos trazidos do além mar para composições culinárias que só encontram paralelo em poucos lugares do mundo.
O ponto forte, porém, vai vir do seu litoral privilegiado. A verdade é que a geografia ajudou muito Portugal, afinal, é um país aberto para o mar. Mar que lhes fornece toda sorte de crustáceos, peixes e mariscos que vão ser as estrelas do seu cardápio plural e sempre delicioso. O bacalhau, entretanto, vem dos mares do norte, principalmente da Noruega. Mas, como sabemos, ninguém vai saber tratá-los como em terras portuguesas, com mil receitas, cada uma, melhor do que a outra. Não há como se errar prato em Portugal.
Mas, se você desejar fugir dos frutos mar, não se preocupe, o acerto continuará, sem medo. Porque, Portugal é um país para se comer.

Para mim, comer é parte essencial de uma boa viagem. Para se conhecer um país, é preciso comê-lo. No caso, Portugal deve ser comido e bebido, preferencialmente, sem pressa alguma. Confira:
> Em Lisboa, sugiro um bom chopp acompanhado do inesquecível pastel de bacalhau com queijo da Serra da Estrela, no Museu da Cerveja, praça do comércio. Vá lá, prove a iguaria e silenciosamente me faça uma prece agradecendo.
> Em Belém, o insubstituível pastel de de Belém, ao lado do Mosteiro dos Jerônimos. Aproveite, vá no mosteiro e reze novamente por mim;
> Em Sintra, vá na Toca do Júlio. Peça plumas de porco preto e beba com um bom e honesto vinho verde;
> Em Cascais, se for época de sardinhas, sardinhas. Em qualquer lugar onde se possa ver o mar.
> Em Aveiro, o Fialho. Não é o mais barato, mas delicioso. Sugiro um borrego (ovelha) ao forno com um vinho alentejano. Se você for rico, um pera-manca. Se não, vá de cartuxa reserva sem medo. Se for pobre, não desanime, haverá opções para saciar a sua sede;
> Em Batalha, vá na Pérola do fetal, mas vá com fome porque tudo é delicioso. Mas, sugiro o leitão;
> Em Tomar, pedi também um pernil de porco num restaurante espetacular chamado Taverna medieval. Sugiro que prove as cervejas artesanais do lugar;
> Em Guimarães, uma excelente sugestão é A buxa, onde a recomendação é o bacalhau com broa e em Braga, o bacalhau à Braga no Cruz Sobral. Sugiro um vinho leve como o Alvarinhos;
> No Porto, coma uma francesinha na Capa Negra e se quiser mais ousadia, tripas. Isso. Eles adoram tripas nesta região do planeta, inclusive Sarrabulho, conhece?!
> Quer provar bons vinhos, além da clássica região do Douro, sugiro a Bacalhoa, em Azeitão, e a Cartuxa, em Aveiro. Vá disposto e não dirija depois.

Viagens de incentivo são aquelas patrocinadas por empresas que desejam premiar colaboradores e/ou parceiros ao término de um ciclo. São prêmios concedidos como recompensa por metas batidas ou por sucesso em campanhas.
A Griffe de viagens, agência de turismo de campinas, é especialista em montar essa modalidade de viagens, com vasta experiência em território nacional, Estados Unidos, Europa e até em outras latitudes do planeta.