Perdido em Nova Iorque ou em Buenos Aires?

07 de abril, 2016 - por Max Franco

imageComo já expliquei aqui, eu perco livros.

Há quem se oponha. “Livros são sagrados… Blá, blá”, eu respeito. Mas, para mim as pessoas são mais e promover a Cultura entre as gentes – para mim – é muito mais sagrado.

Na verdade, já perdi sem querer celular, dinheiro, carteira… Por que não perder querendo. Dói muito menos. Para ser sincero: dói, mas dói gostoso.

( Há políticos, por exemplo, que perdem –  “bastante propositadamente” – a vergonha diariamente, há anos, pela vida inteira. E continuam perdendo sem pena.)

  • Pois eu perco livros.
  • Por sorte, infectei outros loucos dessa doce sandice. Aqui, vou contar essas histórias de perdas felizes e mostrar as provas desses extravios.

Por exemplo, Gabriela Parente, boa amiga, perdeu livros nos Estados Unidos e na Argentina (nas mesmas férias!)

  • Espero que tenham sido bem achados.
  • E novamente perdidos.